{Resenha} A Soma de Todos os Beijos - Julia Quinn

Olá, Herdeiros!

Vamos terminar a semana e o mês (uauuuu, o mês voou!!!) com resenha? Vambora! 


Hugh Prentice é o melhor jogador de piquet. Com sua peculiaridade em decorar números, ninguém consegue vencê-lo no jogo. Mas, nem tudo dura para sempre. Sua invencibilidade acaba quando Daniel Smyth-Smith o vence em uma partida, embora o único motivo disso tenha sido o exagero de Hugh com a bebida. 

Sentindo-se trapaciado, Hugh desafia Daniel para um duelo. Ambos estupidamente cometem um erro que muda a vida de ambos. 

Três anos mais tarde, finalmente, os mocinhos fazem as pazes e Hugh convence seu pai de não matar Daniel.

É o casamento de Honoria, irmã caçula de Daniel, prima de Sarah Pleinsworths. Honoria propõe a sua prima Sarah que ela faça companhia a Hugh, mas o que ela não sabe é que ambos se odeiam. Para não contrariar a prima, que também é sua melhor amiga, Sarah aceita o pedido de Honoria. 

Sarah e Hugh se esforçam para manter as aparências da boa educação na alta sociedade e passam bastante tempo juntos, se aturando. Com o passar dos dias, na companhia um do outro, ambos vão se compreendendo e a relação deles torna-se amigável. Ambos então, acabam se apaixonando. 

Mas, um contrato feito com o perverso Lorde Ramsgate, pai de Hugh, para manter Daniel vivo pode impedir que Sarah e Hugh se casem.

Minha Opinião

O terceiro livro da série Quarteto Smyth-Smith é fofo! O casal protagonista Hugh e Sarah começam sua história de amor com muito humor, sarcasmo e trocadilhos, tornando a história além de romântica, muito animada. 
Mas, embora o livro seja fofo e animado, não me prendeu tanto quantos os outros livros que já li da Julia Quinn. Não foi um livro que me fez surpirar de amores. De 1 a 5, minha nota seria 4. O livro não é ruim, só não me prendeu tanto. Eu esperava mais. 

Beijos, até a próxima... 





{Resenha} 100 Dias na Terra - Rúbia Albuquerque

Olá, Herdeiros! 

Sei que andei sumidinha por aqui, mas hoje eu vim trazer a resenha de 100 Dias na Terra, autoria de Rúbia Albuquerque, editora UpBooks. 


Calebe é um ser que vive em outra galáxia e vem para o Planeta Terra em missão por 100 dias para relatar como os terráqueos estão sobrevivendo com tantas aflições.

Ao chegar por aqui, ele vai trabalhar como fotógrafo em um documentário sobre pessoas que lidam com a dor após sofrerem grandes tragédias.Calebe e a equipe de trabalho viaja por diversos países para realizar o trabalho.

Com isso, Calebe ao relacionar com as pessoas, tanto da sua equipe como dos entrevistados, começa a ver como a sua vida no seu planeta é extremamente diferente dos terráqueos. Mas, mesmo diante de todas essas diferenças, ele se encanta e começa a sentir coisas que jamais sentiu.

Preciso falar que a capa deste livro é um arraso!!! A editora está de parabéns!!! Quando eu li a sinopse pensei em algo totalmente do que li e fui surpreendida: a história é incrível!

Eu gostei bastante da narrativa, a Rúbia escreve muito, muito, muito bem.

Gostei muito dos personagens, eles são muito vivos e intensos. Calebe é um personagem fofo e muito amável. Ariel, seu anjo da guarda, é muito sagaz e engraçado. Eu ri muito com ele. E o que falar de Madu ? Uma personagem forte e autêntica, que passou varios momentos difíceis e está tentando dar a volta por cima.

O enredo nos leva aos cenários de tragédias que realmente aconteceram, aquelas que marcaram o mundo. E, embora a autora tenha deixado uma nota que todos os personagens e suas histórias eram apenas uma ficção, não dá pra não se emocionar.

Eu amei esse livro! Confesso que no começo eu fiquei meio "como assim?", mas conforme eu fui lendo, fui me adaptando à ficção e aos personagens. Quando dei por mim, estava apegada ao livro.

O gênero do livro é ficção cristã, mas não é religioso. Só que, pra quem é mais religioso vai estranhar um pouquinho e com certeza vai se questionar: "será que existe vida em outro planeta?", "será que isso não é heresia?". Mas, eu devo lembrar que: o livro é UMA FICÇÃO. Não é um livro de estudo teológico e nem científico, é apenas uma ficção. 
Para quem não curte livros cristãos, vai por mim, o livro não tem aquela pegada de "religião", entende? É apenas um livro com princípios cristãos, acho que não incomodaria.

Para adquirir o livro clique aqui

Um beijo, até a próxima ! 






{Resenha} A Busca - Sean McDowell

Olá, Herdeiros!

Vamos começar mais uma semana de setembro com resenha. 
Dessa vez, trago a resenha de um romance cristão, A Busca, que recebi de cortesia da editora BVBooks

a busca

RESENHA

O livro conta a história de Emma, uma jovem de 23 anos, que é órfã de mãe desde criança e por isso se apegou profundamente ao seu pai. Porém, quando ela vai pra faculdade, seu pai, Daniel,  a surpreende e avisa-a que está apaixonado por uma mulher, Katya, e deseja se casar com ela, e, mais do que isso, que ele se converteu ao cristianismo, ele, agora, além de acreditar em Deus, o serve. 

Emma fica completamente decepcionada e indiferente com seu pai, pois, por toda a sua vida foi criada sem nenhuma religião e ensinada de que Deus não existiria. A partir daí, Emma se mantém distante afetivamente do pai, o evitando sempre que possível. 

A situação piora depois que Daniel vai com a esposa morar em Israel para realizarem um trabalho missionário. A relação entre Emma e a madrasta é completamente difícil, pois, Emma acha que perdeu o pai para Katya. E tudo desmorona quando Daniel é sequestrado. 

Emma se vê obrigada a ir para Israel e junto com a madrasta encontrar o seu pai. Isso é bem complicado para ambas. Por um lado, Emma se vê convivendo com uma mulher que além de cristã, tomou seu pai dela e, por outro lado, Katya se vê tendo que respeitar a enteada sem negar sua vida com Deus e lidar com a sua antipatia, indiferença e falta de fé em Deus. 

Com o desenrolar da história, vemos como Emma vai aprendendo ter fé e acreditar em Deus, em deixar de lado seus ciúmes e suas amarguras. Vemos também como Katya é uma mulher fervorosa em oração e temente a Deus. Um verdadeiro exemplo!

a busca bvbooks


MINHA OPINIÃO

Eu amei o livro! Por ser um livro cristão, o foco principal é nos fazer refletir em como nós devemos Buscar Deus, como Encontrá-lo. O enredo todo é gira em torno de provar a existência e o amor de Deus. A narrativa e os diálogos dos personagens não trazem muita reflexão bíblica. Os personagens são muito vivos e intensos. 

Para quem deseja um livro com um assunto totalmente cristão, eu super o indico. 

Beijos, 



Porque não fui à Bienal Do Rio 2017? #ARealidade

Olá, Herdeiros!

Vim responder pra vocês o que muita gente vem me perguntando:

Porque não fui à Bienal, logo eu que SOU FANÁTICA POR LIVROS?

Vamos lá:

- O valor do ingresso:

R$ 24 reais inteira.  (eu compro um livro só no ingresso).
Eu ainda pago meia com a carteirinha da faculdade, mas até com a meia eu compro um livro na Saraiva.com (acabei de ver Eleanor e Park - edição Slim por R$ 9,90)

- Os livros estão caros:
Quem é consumidor compulsivo de livros vai concordar MUITO comigo. O que você acha por R$10 a R$ 20,00 reais lá, ou eu já tenho ou não tenho a menor vontade de ler. Não é lançamento, não é aquele livro "desejado", é aquele que a gente pensa "vou comprar pq está barato, apenas".

- Refeição:

Comprar qualquer coisa na Bienal pra comer é, tipo assim, como se eu fosse comer uma refeição completa com sobremesa, mas, na verdade, é só um pão com salsicha e um refrigerante sem gás, fala sério. RioCentro deveria repensar muito na área de gastronomia para os seus eventos. Quem come bem... sofre, fíííaaaa...

- Autógrafos de autores.

Eu não entro em fila pra pegar autógrafos com autores que eu mal sei pronunciar o nome. Eu admiro? Sim, muito. Existem vários autores maravilhosos que eu amo, mas não sou da vibe "enfrento essa fila de 5 horas por um autógrafo ou uma foto". Abriria exceção para  Jane Austen (se estivesse viva), Tessa Afshar e Julia Quinn, mas elas não estavam lá, então não vou.

- Editoras:

Tem estandes maravilhosos, dá pra tirar fotos, estão "tudo lindão". Ok! Lindo, maravilhoso....pra vocês.... Também não me enche os olhos nada disso. Sério. Não gosto mais dessas coisas de tirar fotos em banners. Tô velha? Tô.

- Transporte:

Passagem de ônibus. Pq vc vai ter que pegar BRT lotadoooooo. Pq tbm não rola ir de carro. Motivo ? R$ 25 reais o estacionamento.

- Lotação:

Não tem um dia vazio. Eu tenho pavor de lugares lotados. Vi por stories alheios gente jogando livros no chão e os pisoteando. Eu entraria em pânico total. Aquela correria de adolescentes indo atrás de Larissa Manoela, Kéfera, Priscilla Alcântara e todos os ídolos do momento. Deus que me perdoe!!!! Mas, não tenho mais vibe pra isso. Você anda, anda, anda e anda... E sai de lá igual um bagaço.

Falando em lotação. Lembrar que tudo tem FILA. Se eu não tenho paciência com a fila do mercado, da loja de roupas, imagina com fila de Bienal. Socorrooooo!

Fiz um cálculo mental rápidoooo antes de pensar em ir ou não:

R$ 36 reais de ingresso. Não iria sozinha.
R$ 20 reais de passagem.
R$ 20 reais pra fazer aquele sanduba esperto mais alguns sucos - sem contar com o peso da mochila -.

Só aí já foi R$ 76 reais...só pra estar lá, minha genteeee...sem comprar nada de livros. 😱

Acho bacana você que foi. Iria? Talvez. Se tivessem me dado uma credencial, um lanche 0800 e os últimos lançamentos de livros, quem sabe ?

Admiro a quem possa ter tido dinheiro, disposição e tempo para passar por lá, mas a minha realidade é bem diferente.

Mas, também não posso ser indiferente com a galera e esquecer que tem todo o trabalho das editoras, do escritor novato que está lutando pra vender o livro recém lançado, dos autores que passaram horas autografando e tirando fotos com pessoas que nunca viram na vida e ser reconhecido pelo seu excelente trabalho.

Contudo, a Bienal do Rio 2017, na minha opinião, está bem longe do objetivo principal que é incentivar as pessoas à leitura, uma vez que, ficou um pouco caro pro consumidor.

Beijos,



© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo